Linhas de psicologia

Entenda um pouco mais sobre as diversas linhas de psicologia

GESTALT-TERAPIA

Abordagem psicoterapêutica fundada por Fritz e Laura Perls na década de 1940, Perls, considerado o pai da Gestalt-Terapia.  É uma prática psicoterápica, que recebeu diversas influências durante o seu processo de construção, dentre elas, o Humanismo, Existencialismo, Fenomenologia, Psicologia da Gestalt, Teoria de Campo, Teoria Organísmica, Taoismo, Zen – budismo. No Brasil, chegou na década de 70, e hoje já podemos encontrar diversos centros de formação de psicoterapeutas espalhados pelo país.

A Gestalt-Terapia apresenta-se como uma abordagem fenomenológico-existencial, ou seja, uma psicoterapia vivencial que ressalta a consciência do aqui-e-agora, através do foco de como o fenômeno nos é apresentado, Perls coloca que antes de procurarmos as coisas que porventura estejam por detrás, melhor faremos se focalizarmos nossa atenção no que está ali, presente, visível.

Para a Gestalt, o homem sempre está em processo de desenvolvimento, sendo a noção de processo algo que está em permanente movimento, em constante mudança. Trabalhamos para promover o processo de crescimento e desenvolver o potencial humano.  Assim, integrando as partes conhecidas e desconhecidas, partes que aceitamos e negamos em nós mesmos, vamos nos tornando aquilo que realmente somos, e consequentemente, a vida flui de forma mais saudável.

A Gestalt-Terapia é considerada uma terapia do contato, é através do contato que nos damos conta de nosso processo, e que podemos ser criativos na forma de ver o mundo e de fazer escolhas na vida. Acreditamos que a todo o momento estamos em contato com o meio, e por meio deste que o funcionamento humano pode tornar-se saudável ou disfuncional.

O trabalho clínico, busca-se uma ampliação da consciência do indivíduo sobre seu próprio funcionamento, ou seja, como ele funciona, como se interrompe no seu processo de contato consigo e com o mundo, tomando suas próprias decisões e efetuando escolhas que atendam as suas reais necessidades. Buscando tentativas para alcançar seu próprio equilíbrio. É importante que o indivíduo assuma suas responsabilidades diante de suas escolhas, diante de sua vida. Conforme ele vai se conscientizando de suas escolhas, de seu modo de viver, assim é possível, realizar mudanças, pois acreditamos que através do contato, a mudança simplesmente ocorre.

A Gestalt-Terapia promove novas formas de olhar para a vida, onde nada é definitivo, existem sempre possibilidades a serem exploradas, escolhas novas a serem feitas. A Gestalt-Terapia é uma atitude de re-descobrir aquilo que está ali, é uma atitude de lidar com o novo como novo, é uma atitude de nada afirmar nem negar.

PSICOLOGIA ANALÍTICA (CARL GUSTAV JUNG)

A Psicologia Analítica, também conhecida como Psicologia Profunda ou Complexa, foi desenvolvida pelo psiquiatra suíço Carl Gustav Jung e que, dentre outras características, aborda a libido de uma forma mais abrangente, cuja dinâmica não se funda na sexualidade ou em seus mitos. Compreende o funcionamento psíquico de um ponto de vista energético, auto-regulado, e numa dinâmica compensatória. Trabalha com o conceito de inconsciente, sendo que a via regia de acesso ao mesmo se dá através dos complexos a partir dos quais é possível conhecer a psicodinâmica justamente em seu caráter energético e compensatório. Concebe o inconsciente não somente em termos redutivos, expressos numa dinâmica de repressão de conteúdos, mas também numa perspectiva prospectiva através da qual é possível inquirir para onde deseja caminhar a energia. Além disso, os conceitos de arquétipo e inconsciente coletivo permitem que se considere que a dinâmica psíquica é “movida” por fatores geracionais, coletivos e históricos de tal forma que se perceba que a estruturação psíquica se dá não apenas focalizada na história individual mas também na história coletiva possibilitando verificar que nas manifestações culturais está presente a história psíquica da humanidade. Isto explica a aproximação de Jung da religião, dos mitos, das narrativas e das tradições antigas como a alquimia e o I-Ching. No setting analítico a questão da transferência é encarada como um fenômeno natural, podendo ou não acontecer, não se constituindo um fundamento essencial à prática clínica mas visto com relevância e passível de manejo caso o fenômeno ocorra.

PSICANÁLISE

Psicanálise é um método desenvolvido pelo médico neurologista alemão Sigmund Freud, para tratar de distúrbios psíquicos a partir da investigação do inconsciente.

A psicanálise surgiu na década de 1890, com Sigmund Freud. Freud acreditava que seus problemas se originaram da inaceitação cultural, Desde Freud, a psicanálise se desenvolveu de muitas maneiras e, atualmente, há diversas escolas.

O método básico da Psicanálise é a interpretação da transferência e da resistência com a análise da livre associação. O analisado, numa postura relaxada, é solicitado a dizer tudo o que lhe vem à mente. Sonhos, esperanças, desejos e fantasias são de interesse, como também as experiências vividas nos primeiros anos de vida em família. Geralmente, o analista simplesmente escuta, fazendo comentários somente quando no seu julgamento profissional visualiza uma crescente oportunidade para que o analisante torne consciente os conteúdos reprimidos que são supostos, a partir de suas associações. Escutando o analisado, o analista tenta manter uma atitude empática de neutralidade. Uma postura de não-julgamento, visando a criar um ambiente seguro.

Outro ponto a ser levado em conta sobre o inconsciente é que ele introduz na dimensão da consciência uma opacidade. Isto indica um modelo no qual a consciência aparece, não como instituidora de significatividade, mas sim como receptora de toda significação desde o inconsciente.

TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL

Terapia Cognitiva é um sistema de psicoterapia, proposto e desenvolvido pelo Dr. Aaron Beck e seus colaboradores, que integra um modelo cognitivo de psicopatologia e um conjunto de técnicas e estratégias terapêuticas baseadas diretamente nesse modelo.

A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) baseia-se na hipótese de vulnerabilidade cognitiva como um modelo de transtorno emocional. Seu princípio básico, que reflete uma postura construtivista, é de que nossas representações de eventos internos e externos, e não um evento em si, determinam nossas respostas emocionais e comportamentais. Nossas cognições ou interpretações, as quais refletem formas idiossincráticas de processar informação e representar o real, constituiriam a base dos transtornos emocionais, os quais seriam definidos, em TCC, mais propriamente como transtornos de processamento de informação.

A teoria que embasa a terapia cognitiva propõe simplificadamente que a maneira como representamos a realidade ativa motivações, emoções e processos cognitivos associados que, por sua vez, influenciam as nossas ações, ou seja, dependendo da maneira como interpretamos aspectos da nossa realidade, teremos, por exemplo, reações emocionais diferenciadas que nos induzirão a tomar diferentes cursos de ação. Ao longo de nossas histórias de vida, formamos diferentes estruturas de significado (esquemas) que por sua vez influenciarão a maneira como interpretaremos a realidade e formaremos novos esquemas.

Diversas técnicas e procedimentos podem ser usados a depender do tipo de transtorno e das individualidades do paciente. Entretanto, alguns aspectos básicos servem como diretrizes gerais na maneira como um terapeuta cognitivo deve lidar com seus pacientes. A terapia cognitiva enfatiza a importância fundamental da colaboração entre paciente e terapeuta para que avanços sintéticos possam ocorrer. Através de técnicas como o questionamento maiêutico e a descoberta guiada, paciente e terapeuta devem construir uma relação que permita o desenvolvimento de habilidades cognitivas, meta cognitivas e sociais fundamentais para um processo terapêutico efetivo.

Conheça os cursos que oferecemos

Alguns serviços

TERAPIA INDIVIDUAL

É um espaço que proporciona ao paciente maior acolhimento, compreensão, capacidade de explorar diversas questões sob uma ética profissional de sigilo.

PSICOTERAPIA COM CRIANÇA

Muitos tem a crença de que as crianças não sofrem. Porém, elas também encaram dificuldades próprias da existência humana.

PSICOTERAPIA COM ADOLESCENTE

Adolescência é um período marcado por crises, onde são vivenciadas sensações diferentes, é caracterizada por mudanças biológicas, psicológicas e sociais

PSICOTERAPIA COM ADULTOS

O objetivo da psicoterapia é propiciar o autoconhecimento onde  o indivíduo se perceba melhor, favorecendo a possibilidade de mudanças e reflexões

TERAPIA DE CASAL

É indicada terapia de casal quando há uma insatisfação na forma de como as relações estão se concretizando.

TERAPIA DE FAMÍLIA

A Terapia Familiar tem como objetivo buscar a conquista ou reconquista de relações harmoniosas, respeitosas e saudáveis entre os seus membros

Veja todos os nossos serviços